Artistas que você deveria conhecer – The Reign of Kindo

Tempo médio de leitura: 5 minutos

The Reign of Kindo é uma banda estadunidense de rock, e sua gama de influências abrange jazz, progressivo e indie. A bem da verdade é uma bela mistura de jazz suave, rock e uma camada ou outra de blues. Nem de longe é um sucesso, mas, em um mundo escasso de originalidade, a banda certamente é um raio de luz na escuridão de futilidade que se tornou o meio musical.

Você é capaz de captar a essência da banda através da imagem. Ela retrata um bando de jovens, armados somente com seus instrumentos. Isso mostra uma atmosfera bem natural e orgânica, algo que se opõe às imagens vistas em estúdios de gravação, geralmente frios e impessoais. É sempre assim que você vai encontrar os integrantes da banda, porque é justamente essa a ideia. The Reign Of Kindo deixa a criatividade e a ingenuidade fluir em vez de uma fórmula estruturada e calculada.

Instrumentalmente, a banda se ampara muito mais nos outros instrumentos do que na guitarra, que é deixada na retaguarda. Isso não quer dizer que o álbum possui um vazio, onde deveria existir a guitarra, mas que todos os outros instrumentos (principalmente o piano e a bateria) são trazidos para a vanguarda.

Vamos às músicas:

Just Wait – “The Reign of Kindo EP”, 2007

Essa música é muito boa de ouvir; o groove, o piano, a batida. Um vocal magnífico que flui perfeitamente com as batidas de jazz entrelaçadas com a guitarra e o piano, que se misturam para criar um som sem igual.

A essência da música é clara quando o vocalista canta: time is a poison and it’s coursing through my veins (o tempo é um veneno e está correndo pelas minhas veias); e all the days that I live, the best is yet to come if I just wait for it (todos os dias que vivo, o melhor ainda está por vir se eu apenas esperar por isso).

Vale à pena dar uma conferida na versão acústica, que tem uma aura completamente diferente.

Nightingale – “This is What Happens”, 2011

A música fala sobre a dor da perda de um amor, e a nostalgia que se segue. Como sempre, a letra é uma poesia.

O contraponto entre a bateria e o piano é simplesmente fantástico. Aqui, fica muito claro o que falei ali em cima, sobre a banda se amparar muito mais no piano e na bateria do que qualquer outro instrumento.

October’s Storm – “October’s Storm EP”, 2010

Mais uma música com um belo piano. Essa música se ampara muito mais no vocal, que destila sua bela voz enquanto canta sobre as chuvas de outubro, uma metáfora sobre o que muitas pessoas pensam: que seus passados determinam seus futuros.

Vale a pena conferir, colocar um fone de ouvido e se deixar levar pela música.

The Hero, The Saint, The Tyrant, & The Terrorist – “Play with Fire”, 2013

Rock progressivo, jazz, pinceladas de música latina, com direito a trompetes. É, como todas as anteriores, uma obra fantástica da música.

Thrill of The Fall – “This is What Happens”, 2011

Jazz, jazz e jazz. Simplesmente jazz fusion. O começo exige certo talento musical, e The Reign of Kindo não economiza nesse aspecto.

As influências aqui são mais progressivas, embora com pinceladas de jazz. Podemos perceber influências de The Mars Volta e Emerson, Lake & Palmer (que, apesar do nome, não é uma firma de advocacia), mais especificamente o álbum “Tarkus” (entre no link, o começo da música é extremamente semelhante).

Em meio a essas influências musicais, a letra nos ensina (e nos relembra) que devemos tentar viver nossas vidas o melhor que pudermos, em todos os sentidos. Aprender novas coisas, descobrir novas coisas, colocar de lado sentimentos negativos como ódio, raiva e pesar.

Pode ter outra interpretação, no que diz a como nossas mentes são pequenas e como costumamos não pensar “fora da caixa”.

Romancing a Stranger – “Play with Fire”, 2013

As raízes e influências do jazz são perfeitamente perceptíveis nesta música. Mas não só jazz, na segunda metade da música, a influência latina é clara (e maravilhosa).

Por um mundo com bandas tão ecléticas quanto essa.

Enquanto instrumentalmente a música é bem complexa, a letra fala simplesmente de um amor não correspondido.

Symptom of a Stumbling – “This is What Happens”, 2011

The Reign of Kindo é uma banda capaz de compor músicas complexas, mas que, ao mesmo tempo, não perdem sua naturalidade, como se fossem simples de serem feitas, e não deixam de lado seus sentimentos.

A letra traz um questionamento extraordinário:

Muitas vezes nos deparamos com amores imperfeitos, recheados de defeitos – algo que não é necessariamente ruim. Afinal, somos todos humanos. Mas, sendo humanos, o que fazemos diante de um amor perfeito? Sim, como reagimos diante daquilo que sempre desejamos e que, de repente, é nosso? Começamos a perceber nossos próprios defeitos, e como não somos merecedores de tal perfeição. Começamos a nos questionar se somos um peso em sua vida, se estamos atrasando essa pessoa; ou seja, nossas inseguranças brotam, e não há muito que possamos fazer.

Nice to Meet You – “Rhythm, Chord & Melody”, 2008

Uma música que fala sobre a busca de alguém que se encarregue de partir suas raízes que o prendem à solidão.

Flowers by The Moon – “This is What Happens”, 2011

Uma poesia que define um momento, um momento específico, que, por ser tão belo, deve (e irá) ser lembrado para sempre.

Bullets in The Air – “This is What Happens”, 2011

É isso que se ganharia se você juntasse Robin Thicke com The Mars Volta (ou seja, um bom produtor se encontrando com uma banda, embora extremamente talentosa, sem a mínima organização). Jazz, rock progressivo, caos, embora organizado. Há também influências claras de King Crimson, um dos pilares do rock progressivo.

Se eu colocasse todas as músicas boas aqui, o texto não teria fim. Outras excelentes são Hold Out; Something in the way that you are; I hear that music play; Help It; Sing When No Ones Around; Great Blue Sea; Now We’ve Made Our Ascent; Psalm; Dust; Feeling in the Night.


Gostou do texto?

Você pode receber as atualizações do Além do Roteiro inserindo o seu email abaixo e clicando em “Seguir”.