Qual time da Europa equivale ao seu? – parte 1

Tempo médio de leitura: 7 minutos

Conhecer os grandes clubes do futebol europeu já faz parte do cotidiano de muitos torcedores brasileiros. Acompanhamos campeonatos e transferências, notícias pela internet, transmissões em tv fechada ou aberta, e, em muitos casos, até torcemos por times de lá. Será que os times que te causam emoções no Brasil e na Europa são parecidos?

Procurei considerar fatores como os títulos dos clubes, seu desempenho histórico, retrospecto recente, origens, cores de camisa… para cada clube um critério se mostrava mais importante.

É interessante observar que o Brasil é um país de proporção continental, e que os torneios aqui são em geral mais recentes que os de lá. O número de títulos nacionais de um clube brasileiro se assemelha mais ao número de títulos internacionais de um europeu, então muitas vezes os números parecem distantes. A princípio relacionei os doze clubes tradicionalmente chamados de grandes no Brasil, pois são os que conheço melhor. Caso discorde de uma comparação (o que certamente acontecerá), ou queira acrescentar novas, joga aí nos comentários! A lista sempre pode continuar.

listras verticais e ascensão – atletico madrid, Atlético-Mg e borussia dortmund

Comparação 1

Um clube grande, mas com escassez de títulos de projeção nacional e internacional. Torcida apaixonada, que transforma o estádio em um espetáculo à parte. Camisa de listras verticais. Viveu algum tempo à sombra do grande rival, até que recentemente se reestrutura e vive uma ascendente.

A descrição acima cabe bem tanto para os dois Atléticos quanto para o Borussia. Os três times montaram grandes elencos nos últimos anos, e se tornaram sensações continentais (Libertadores para o Atlético em 2013, vice da Champions em sequência para a dupla europeia no último biênio. O Borussia ainda tem uma Champions no currículo, e o Atletico Madrid tem duas taças recentes da Liga Europa). A diferença de títulos entre Cruzeiro e Atlético, claro, é muito menor do que a entre Bayern e Borussia (sendo o Atlético, por exemplo, o maior campeão mineiro), ou a entre Real e Atletico Madrid, mas no Brasil a competição de outros clubes é feroz, enquanto Espanha e Alemanha vivem situação mais polarizada.

Mais uma semelhança: Atlético e Cruzeiro fizeram a final da Copa do Brasil (talvez os dois jogos mais importantes da história do clássico), e os europeus também tiveram seus duelos com os maiores rivais: Borussia e Bayern fizeram a final da Champions em 2013; Atletico e Real dsputaram a final em 2014. O Galo, no entanto, conseguiu aquilo que seus irmãos do Velho Continente não foram capazes.

os museus – arsenal e Botafogo

Comparação 2

Ah, Botafogo. Provavelmente o mais saudosista dos grandes brasileiros. Característico por buscar sempre um futebol bem jogado, como o Arsenal, que evita as tradições inglesas de bolas altas na área, e com uma abstinência de títulos também muito comparável.

Os dois times têm tradição nacional, mas vivem longa seca de títulos de expressão. Ambos tiveram suas fases de maior sucesso nacional no passado. A maior sequência de títulos do clube inglês data da década de 30, com retornos pontuais ao auge, como na incrível temporada 2003-2004. Já o Botafogo vê seu sucesso auge na década de 60, quando o torneio Rio-São Paulo tinha prestígio de título nacional. A dupla não foi capaz de transformar essas fases de sucesso em títulos internacionais, deixando um vácuo em suas histórias. Hoje vivem crises de identidade – ainda que o conceito de crise para um grande brasileiro seja bem mais grave do que a de um grande europeu.

Semelhança até nas secas. O Botafogo ficou nove anos sem ganhar o Carioca, e oito sem ganhar qualquer coisa, entre 1998 e 2006. O Arsenal passou pela estiagem um pouco depois, mas com a mesma duração, entre 2005 e 2014.

contrata, contrata – chelsea e Corinthians

Comparação 3

O Corinthians foi grande muito tempo por sua expressão no Campeonato Paulista, junto ao tamanho de sua torcida. Aí vem um Brasileirão em 90, títulos da Copa do Brasil, e, com a proximidade dos anos 2000, o time se consagrou nacionalmente.

O Chelsea viveu de um título na década de 50, até a chegada dos milhões russos. Então vieram títulos nacionais, craques, grandes contratações, polêmicas como a punição de não realizar transferências, e a obsessão pela Champions.

Os anos 2000 foram parecidos para o Corinthians. Dinheiro da MSI e contratações como a de Tévez, polêmicas, rebaixamento, retorno com fome de títulos, contratações caras como a de Pato. Os dois clubes são representados por uma cor primordialmente, e conquistaram seus sonhos internacionais no mesmo ano. Acabaram, por coincidência ou não, se enfrentando no Mundial, onde o Corinthians levou a melhor.

Agora Tite volta ao Corinthians, em clima semelhante ao da volta de Mourinho ao Chelsea. Será que com o mesmo sucesso?

aqueles que não sabem o que é uma crise – Cruzeiro e bayern

Comparação 4

O Bayern é daqueles times que parece não saber o significado de uma crise. Em seus piores momentos, disputa os títulos. Em seus melhores, ganha de forma incontestável. Vem de temporadas espetaculares no campeonato alemão, sem perder força na Copa da Alemanha ou na Champions.

Essa descrição cai bem para o Cruzeiro. Não é dos mais vitoriosos internacionalmente – tendo em vista as diferenças de cenário, o Bayern é um pouco melhor no quesito – e não tem o mesmo nível de supremacia regional (afinal, nenhum time brasileiro tem), mas está sempre brigando pelos títulos. Monta esquadrões como o campeão da tríplice coroa, em 2003, e vive uma de suas grandes fases, bicampeão brasileiro, com superioridade incomum por aqui. Até o recente gosto amargo da derrota para o Galo na Copa do Brasil remete ao Bayern, que perdeu a Copa da Alemanha para o Borussia em 2012. O time alemão, no entanto, se vingou…

Maracanã e Giuseppe Meazza – Flamengo e Internazionale

Comparação 5

Essa é a parte onde os torcedores do Flamengo esperam por Real Madrid ou Barcelona. Sinto muito, mas é com os times italianos que o clube mais se parece. São estes que têm as maiores torcidas europeias (dentro do país do próprio time), caracterizadas pela paixão.

Cada time italiano empresta um pouco para a figura do Flamengo. O Milan tem as cores. Divide com o Internazionale o estádio (San Siro ou Giuseppe Meazza) – de forma semelhante à relação Fla-Flu com o Maracanã -, e ambos estão entre os maiores campeões nacionais. O Juventus, maior campeão italiano, também tem a maior torcida.

Olhando com mais cuidado, porém, a proporção dos títulos credencia o Internazionale. Um dos maiores campeões nacionais, igual ao clube carioca. Dentre os maiores vencedores da Copa da Itália, da mesma forma que o rubro-negro daqui. Os nerazzurri tiveram mais sucesso na UEFA Champions League do que teve o Flamengo na Libertadores, mas a discrepância com o Milan seria ainda maior.

O Inter viveu também, nos anos 2000, o auge que o Flamengo viveu na década de 80, e é, dos três italianos citados, o time que mais disputou a Serie A. Seguidos do auge, a época de “vacas magras”, e agora ambos tentam uma retomada – no momento, o Flamengo com um pouco mais de sucesso.

dinheiro em caixa – manchester city e Fluminense (até 2014)

Comparação 6

O Fluminense é grande há mais tempo que o City, mas viveu muito tempo, como o Corinthians, de mais títulos regionais do que nacionais ou internacionais. O patrocínio da Unimed, como a compra do City por um bilionário, representa uma virada na história do clube.

O tricolor carioca vê em seus anos recentes um título de Copa do Brasil, vice da Libertadores, 2 campeonatos brasileiros, e quando não ganhou, esteve quase sempre bem cotado na disputa, um retrospecto semelhante ao do time de Manchester nos últimos anos. Ambos criaram sua referência em canhotos habilidosos, Conca e David Silva, ainda que o primeiro vá e volte. Apesar do bom histórico recente, a Libertadores permanece como o sonho do Fluminense, assim como é a Champions para o City. Outro clube de perfil similar é o PSG, com o acréscimo de Thiago Silva como ídolo em ambos os times.

Essa comparação tem dois problemas: o primeiro, com a saída da Unimed, o time perde o status de grandes contratações, muito dinheiro em caixa. Resta observar o futuro próximo para ver como o clube lidará com a situação.

O segundo problema, no entanto, leva à uma comparação específica.

síndrome do tapetão – fluminense e fiorentina

Comparação 7

É curioso como a época foi próxima, com distância de poucos anos. Em 2002, a Fiorentina foi rebaixada para a Serie B italiana, mas declarou estado de falência, o que a levou para a então Serie C2, equivalente à 4ª divisão brasileira.

Em 2003, o time de Florença conseguiu o acesso à então Serie C1 italiana, mas por “méritos esportivos”, foi diretamente promovida à Serie B, pulando uma divisão do campeonato. Caso que remete ao salto do Fluminense, da 3ª para a 1ª divisão, pela Copa João Havelange.

A fuga do rebaixamento também aconteceu para ambos. O clube italiano foi um dos condenados no escândalo conhecido como Calciopoli, em 2006, recebendo punição inicial de rebaixamento, que depois foi transformada em perda de pontos, descendo da 4ª para a 9ª colocação. Foi uma situação controversa, pois somente a Juventus sofreu a punição do rebaixamento entre os envolvidos. Já o Fluzão escapou do rebaixamento graças à perda de pontos da Portuguesa, em 2013.


E quanto a Grêmio, Internacional, Palmeiras, Santos, São Paulo e Vasco? Ficam para o próximo texto, com direito à uma rodada bônus. Com que times você compararia os restantes? O que mudaria nos seis já vistos? Acrescentaria quem à lista? A conversa continua nos comentários.

Gostou do texto?

Você pode receber as atualizações do Além do Roteiro inserindo o seu email abaixo e clicando em “Seguir”.


Also published on Medium.

Yann Rodrigues
Editor, também escreve em

Apaixonado por entender narrativas. Das histórias que nos encantam em páginas e telas, às narrativas que nos guiam ou aprisionam na vida.

  • Anônimo

    Não acho o Cruzeiro tendo escassez de títulos internacionais. Na verdade para o padrão brasileiro (tendo em vista q vc levou em consideração casos de Milan e Bayern) eh um dos mais vitoriosos.
    Libertadores são 2 apenas são Paulo e Santos tem mais (3)
    Supercopa q eh na verdade o melhor torneio depois da libertadores o Cruzeiro tem 2 e eh o único
    comembol foi uma piada cocdiversas recusas d clubes grandes e até pequenos em disputa e já teve sampoio Correia e asa como finalistas
    Sul americana tem um nível ridiculamente baixo e a Mercosul se compara a supercopa
    além disso tem Recopa e outros títulos menores
    Não tem mundial infelizmente
    talvez seja isso q pesou

  • Nelson

    Caro Yann Rodrigues, na verdade o Flu conquistou a terceira divisão em 1999. Então na verdade o Flu deixou de disputar a Série B para disputar um módulo da Copa João Havelange equivalente à Série A. Isso ocorreu pq Eurico Miranda não aceitou que o Fluminense disputasse um módulo teoricamente mais fácil , segundo ele, dizendo que o Flu seria beneficiado por ter que enfrentar adversários de menor tradição e como consequência teria uma classificação mais tranquila para a fase seguinte da Copa João Havelange. Com isso o tricolor acabou disputando o módulo principal. Daí a lenda de que Eurico ¨salvou ¨ o Flu da Série B.
    Já em relação ao benefício em 2013 a Portuguesa não salvou o Flu do rebaixamento, outra lenda criada pela imprensa para acobertar aquilo que realmente ocorreu. Na verdade o Flu foi beneficiado pelo erro do Flamengo, com a escalação irregular do jogador André santos, ocorrido anteriormente a erro similar cometido pela Portuguesa um dia após, com a escalação irregular do jogador Héverton. Caso a Portuguesa não tivesse cometido esse erro, o rebaixado seria o Flamengo. Então a Portuguesa salvou o Flamengo, e não o Fluminense.
    Parabéns! Muito legal seu trabalho, Yann.
    Abraço!

  • Meu time (BAHIA) é como o Napoli, grande clube que é marginalizado pela midia por estar fora do eixo economicamente mais desenvolvido do pais.

    • Regis, confesso que não comparei outros times além dos 12 mais famosos por falta de conhecimento. Mas tenho uma lista de clubes de fora desses centros que recebem mais atenção, para continuar esse exerício, com o Bahia incluso.

      Já anotei aqui a ideia do Napoli, você tem mais alguma indicação para outros clubes, os rivais do Bahia por exemplo?

      Obrigado pelo comentário!