Oscar: como são feitas as indicações?

Tempo médio de leitura: 5 minutos

Ninguém ganha um Oscar por acaso. Exceto, talvez, Marisa Tomei, em 1992.

Como todos devem imaginar, os indicados são eleitos através de uma votação. Esse processo é longo e complicado, e envolve mais de 6 mil membros votantes e centenas de filmes, atores, atrizes, diretores, editores, compositores, etc., elegíveis em suas categorias específicas.

O processo é gerenciado por uma firma de consultoria (PricewaterhouseCoopers, ou PwC), que organiza todas as etapas há mais de 80 anos.

Nesse texto, vou abordar (da forma mais simples e direta possível) quem são esses membros votantes, como os indicados são escolhidos e, por fim, como escolhem o triunfante vencedor.

Membros Votantes

Para ser um membro, é indispensável que faça parte de Hollywood – como ator, atriz, diretor, produtor, compositor, roteirista, etc. Além disso, precisa preencher certos critérios, como os exemplos abaixo:

  1. Diretores precisam ter dirigido dois filmes, um deles deve ter sido nos últimos dez anos, ou ter concorrido a “melhor diretor” ou seu filme ter concorrido a “melhor filme”;
  2. Atores e atrizes precisam ter feito, no mínimo, três filmes e um deles deve ter sido nos últimos cinco anos ou ter sido indicado alguma vez ao Oscar nessa categoria;
  3. Roteiristas seguem o mesmo padrão do diretor: aparecer nos créditos de dois filmes ou ter concorrido a “melhor roteiro”;
  4. Candidatos nas categorias técnicas – diretores de arte ou efeitos especiais, por exemplo – precisam ser ou ter sido ativos em seus campos por um determinado número de anos (isso varia de acordo com sua especialidade).

Cada categoria (melhores atores e atrizes, melhor roteiro original/adaptado, melhor diretor, produtores, compositores, etc.) gera uma ramificação; um membro só pode fazer parte de uma dessas ramificações.

Ou seja, Ben Affleck (ator e diretor) só pode fazer parte da ramificação referente a ator ou diretor – nunca as duas ao mesmo tempo. Brad Pitt (ator e produtor), por sua vez, só pode participar da ramificação de produtor ou de ator – jamais os dois ao mesmo tempo.

Semelhantemente, cada membro só pode votar em sua ramificação específica. Um membro ator só pode votar nos atores; diretores só podem votar na categoria “melhor diretor”. E assim sucessivamente.

No entanto, todos os membros podem votar para a categoria de “Melhor Filme”.

Como os indicados são escolhidos

A Academia tem regras restritas que determinam quais pessoas ou filmes podem ser indicados. Para submeter uma produção à indicação, o produtor ou distribuidor da obra precisa assinar e entregar um documento – chamado de Official Screen Credits (algo como Créditos Oficiais do Filme) – logo no início de Dezembro do ano anterior à cerimônia.

Mas, antes de entregar esse documento, o produtor ou distribuidor deve estar atento a critérios imprescindíveis. Alguns deles são: o filme deve ter mais de 40 minutos; deve ter sido exibido publicamente, de forma paga, em Los Angeles, e deve ter ficado em cartaz por, no mínimo, sete dias consecutivos. Além do mais, filmes devem ter sido exibidos obrigatoriamente no circuito de cinema; filmes que foram exibidos primeiro na TV ou na internet, por exemplo, são inelegíveis. Até mesmo a forma de sua propaganda é levada em consideração.

Depois de escolhidos os indicados, a PwC distribui as cédulas de votação. A cada membro é solicitado que listem cinco nomes (na forma como disse antes, cada um em sua categoria específica) em ordem de preferência. A escolha é completamente livre. Pode ser excêntrica, absurda, desde que os nomes não sejam repetidos; porque isso poderá fazer com que seu voto não seja considerado.

Os votos retornam à PwC, que devem contar os votos – esse processo ainda é feito à mão – e organizá-los. Então, os possíveis indicados se tornam indicados oficiais.

Todo esse processo dura 7 dias.

A contagem e o “número mágico”

Essa contagem é um processo importante e, à sua própria maneira, muito interessante.

Lá em cima, disse que são mais de 6 mil membros, cada um discriminado em sua própria categoria. Cada categoria apresenta mais membros que as outras. Logicamente (até por causa da ordem do Oscar), “Melhor Filme” e as quatro categorias de atores são as que possuem mais membros. Portanto, sao as que necessitam de mais votos.

Um figurinista pode ser indicado com 20 votos. Um ator, no
entanto, pode precisar de dez vezes mais.

A regra, contudo, é única: o número total de possíveis votos é divido pelo número de possíveis indicados mais um (geralmente 5+1 = 6). Ou seja, se tivermos 600 membros na categoria, o “número mágico” será 100. O total sempre é arredondado para cima e esse valor é a garantia de indicação.

Para atores geralmente é 190 (1.132 membros). Para diretores e roteiristas (394 membros cada), é 66. Veja as outras categorias aqui (em inglês).

As cédulas são contadas com atenção na ordem de preferência. Então, primeiro conta-se quem ganhou mais primeiras colocações. Quando se chega a 190 votos, no caso dos atores, ele é automaticamente indicado. Em seguida, o possível indicado com o menor número de primeiros lugares é descartado e as cédulas são reorganizadas, agora para contar os segundos lugares.

Isso se segue até todos os cinco indicados sejam escolhidos.

E o vencedor é…

Decidir o vencedor é muito mais simples. Depois de decididos todos os indicados, toda a Academia (ou seja, todos os mais de 6 mil membros) votam em cada categoria, cada membro tendo um voto em cada.

No entanto, os membros são desencorajados a votar em categorias que não compreendem ou categorias em que não viram todos os filmes indicados.

Esse último processo começa agora, no momento da publicação desse texto, 12/02 às 8h no horário do Pacífico, ou 14h no horário de Brasília. O encerramento da votação ocorrerá em 23/02, às 17h na hora local, ou 22h no horário de Brasília.

Concluindo

  1. A Academia possui mais de 6 mil membros. Cada membro pertence a uma ramificação – diretor, ator, roteirista, produtor, etc.
  2. Cada ramificação vota em sua própria categoria (atores votam em todas as quatro categorias e todos os membros votam para melhor filme);
  3. É solicitado a cada membro que liste até cinco nomes, em ordem de preferência;
  4. Chega-se a um número mágico para cada categoria. Esse número é calculado pegando o número total de membros por categoria e dividindo pelo número de possível indicações mais um (geralmente 5 + 1 = 6). O número mágico é importante porque assim que o possível indicado alcança esse número, ele automaticamente se torna um indicado oficial;
  5. O processo continua até todas as vagas de indicações estejam preenchidas;
  6. No fim, todos os mais de seis mil membros votam em cada categoria. O que tiver mais votos, vence.

Gostou do texto?

Você pode receber as atualizações do Além do Roteiro inserindo o seu email abaixo e clicando em “Seguir”.