Sem tempo para amar

Tempo médio de leitura: 2 minutos

Era um domingo qualquer de verão e ela estava andando preguiçosamente sob o sol, com óculos escuros, de uma forma tão meiga que eu precisei fotografá-la. Ela me viu com a câmera e fez uma pose sensual, e por um momento pareceu uma daquelas atrizes famosas que tanto desprezava.

Estava linda, é claro, e eu precisei compartilhar com o mundo que companhia incrível eu tinha. Não demorou a terem dezenas de curtidas. Cara, como eu tinha sorte. Por um momento, parecia que ela era a mulher mais cobiçada do mundo, e só eu tinha acesso à sua beleza.

Mais tarde, naquele dia, jantamos a salada do BIBI, ao som de um casal de músicos que destilava seu talento a céu aberto. A comida estava tão bonita que precisei fotografar, e postei no Instagram com a legenda “casal saúde”. Depois, tirei a foto do casal de músicos e compartilhei com o mundo que os estava assistindo com o meu amor.

Só não sabia que muito em breve lamentaria não ter dado atenção à piada que ela havia feito, enquanto eu estava ocupado pensando em uma legenda inteligente e original que pudesse resumir a beleza do momento. Muito depois, lamentaria por não ter escutado sobre o seu novo sonho de ser enfermeira, após uma breve experiência numa noite qualquer de sexta-feira. Lamentaria por não ter prestado atenção àquele filme do casal no parque, ou de não ter visto a cena que te fez rir por uma semana (e não poder ter compartilhado de sua diversão). Lamentaria por não ter usufruído mais de sua presença, por não ter sorrido mais com você, por não ter prestado mais atenção.

Lamentaria por sequer ter tido tempo de amá-la…


Gostou do texto?

Você pode receber as atualizações do Além do Roteiro inserindo o seu email abaixo e clicando em “Seguir”.

Nicholas Nogueira

Carioca, que abriu sua própria empresa para poder ter tempo de escrever e falhou miseravelmente. Uma pessoa intensa que encontrou na escrita a única forma de extravasar tudo que passa dentro de si.