A loucura de uma mulher fazendo reparos domésticos

Tempo médio de leitura: 3 minutos

Você leu certo. Reparos domésticos. Não estou falando de tarefas domésticas. Nada de lavar a louça, lavar roupa, faxina no banheiro, porque isso eu sei fazer. Estou falando de mexer com martelo, cola de madeira, fios de eletricidade.

Ué, mas isso é coisa de homem, não?

Não. É coisa de quem sabe mexer com: martelo, cola de madeira, fios de eletricidade, etc.

Minha casa precisava de alguns reparos, então eu e minha esposa fomos à procura de orçamentos para o serviço. Os preços vinham salgados. Quando pedimos seis reparos e o valor não bateu com nossas expectativas, não abandonamos a tentativa. Pedimos preços discriminados, para selecionar o serviço que caberia no nosso orçamento no momento. Resposta? Sempre “não”. Talvez os profissionais não quisessem revelar seu modelo de precificação. Como se não pudessem embutir no preço de cada serviço o valor que desejam. Ou como se não pudéssemos hackear o orçamento, pedindo uma proposta diferente para cada item.

Nosso espírito de porco, porém, não estava em seu auge, então só seguimos procurando alguém mais alinhado. Lá no último fio de esperança encontramos a Ela Repara. Uma empresa criada por Isis, visando atender residências de mulheres e pessoas idosas aqui no Rio de Janeiro, qualquer pessoa desejosa de fugir dos abusos e assédios que infelizmente acontecem em nossa sociedade.

Foi nesse passo que a loucura começou.

Primeiro pedimos a nossa série costumeira de itens, e ela nos mandou o preço. Abaixo, bem abaixo do comparativo.

Para reforçar a esquisitice inicial, a empresa teve a ousadia de nos mandar o preço discriminado, item a item.

Na hora de agendar a visita, havia a dificuldade da nossa disponibilidade. Ambos trabalhando em horário comercial. Conseguimos marcar para o dia 20/01, um feriado no Rio. Também há atendimento em alguns sábados. Como assim???

No fatídico dia, a já citada Isis nos atendeu. Foi absurdo, completamente fora de modelos mentais, loucura nem começa a descrever, mas vou tentar.

Ela comprou antecipadamente os materiais necessários pelo orçamento previsto. Chegando no local do serviço, avaliamos os itens a fazer e o que mais seria necessário comprar, e foi ela própria à rua para completar a lista.

Consertou os circuitos de nosso ventilador de teto.

Colou os tacos de madeira do chão que estavam soltos.

Instalou nova tomada.

Seguiu fazendo os ajustes possíveis no dia ou deixando tudo pronto para finalizarmos qualquer item que não fosse possível acabar.

Ou seja, super profissional.

Uma mulher. “Colocando a mão na massa”, literalmente (para tapar buracos que tínhamos na parede).

É muita loucura uma realidade assim.

Ou nós somos muito loucos por não tratar isso como normal.

Portanto, se você mora no Rio, especialmente se é mulher ou pessoa idosa, procura uma indicação de pessoa confiável, com bom preço e transparência para fazer reparos domésticos na sua casa, deve ter clicado na página do Facebook dela, no link lá em cima. Não? Então deixo aqui de novo porque sou bonzinho.

Página “Ela Repara“.

De quebra, você ainda dá uns tapas na cara da sociedade.


Gostou do texto?

Você pode receber as atualizações do Além do Roteiro inserindo o seu email abaixo e clicando em “Seguir”.


Also published on Medium.

Yann Rodrigues
Editor, também escreve em

Apaixonado por entender narrativas. Das histórias que nos encantam em páginas e telas, às narrativas que nos guiam ou aprisionam na vida.